página inicial
  Home

  Histórico

  Agenda

  Fotos / Vídeos

  Cursos/Preços

  Partituras/Cifras

  Links

  Gêneros musicais do Brasil

  Venda instrumentos

  Livro de visitas

MPB/POP/BOSSA NOVA



No dia 18/03/11, o compositor e cantor Ataulfo Alves Jr., foi homenageado pelos alunos do Canto pra Viver - oficina de samba e choro. Nesta ocasião os alunos tocaram junto com o Ataulfo e ouviram um pouco de sua história.

Abaixo, um reliese do Ìdolo, fotos e vídeos do evento.

ATAULFO ALVES JR.

5/8/1943 Rio de Janeiro, RJ

Compositor e Cantor, inicialmente, integrou o trio Os Herdeiros do Samba, juntamente com Aluízio e sua irmã Matilde. O nome do trio foi dado pelo pai, sendo ensaiado pelo violonista Meira.
Em 1963, apresentou-se pela primeira vez para o público no Teatro Record, em São Paulo, no "Programa Bossaudade", de Elizeth Cardoso, sua madrinha artística.

Entre 1963 e 1969, trabalhou ao lado do pai em diversos shows por todo o Brasil. Neste mesmo ano, gravou seu primeiro disco, um compacto simples pela gravadora Continental.

No ano de 1973, teve sua música "A Mangueira é você" gravada por Moreira da Silva.

Em 1976, gravou seu primeiro grande sucesso, "Os meninos da Mangueira" (Rildo Hora e Sérgio Cabral). A música alcançou o 1º lugar nas paradas de sucesso da época, abrindo caminho para outros sucessos do cantor, como "Pedro sonhador" (Rildo Hora e Sérgio Cabral), "Canto de amor", "A bela da tarde" (Rildo Hora e Sérgio Cabral), "Mais um samba de amor", "Razão pra cantar", "Emoções fortes" e "Paixão estilo antigo".

Entre 1992 e 1993, excursionou pela Europa, apresentando-se em várias cidades. Voltou à Europa nos anos de 1996, 1997 e 1998, apresentando-se em várias casa noturnas como Casino Vilamoura (Algarve), Casino Solverde (Espanha), Ilha da Madeira, Expo-98, em Lisboa, Sevilla, Astúrias, Oviedo e em Granada.

Em 1999, participou do projeto "Discoteca do Chacrinha", gravando pela Universal/Polydor um dos CD's do projeto ao lado de vários outros artistas.

Em 2002, fez espetáculo juntamente com Heitorzinho dos Prazeres, no qual reviveu mais de quatro décadas depois o conjunto "Herdeiros do Samba", seu momento inical de carreira e alguns sucessos de Ataulfo Alves e Heitor dos Prazeres.

No ano de 2003, apresentou o show "Os grandes mestres da MPB", no Café Cultural Sacrilégio, na Lapa, centro do Rio de Janeiro.

Em 2005 foi um dos convidados do programa "Dorina.Samba", apresentando-se no auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Desenvolveu também neste mesmo ano o projeto "Herdeiros do Samba".





Abaixo, um reliese de seu pai.

ATAULFO ALVES

Nasceu na Fazenda Cachoeira, município de Miraí, Zona da Mata de Minas Gerais. Filho de Severino de Sousa e Matilde de Jesus. O pai, que tinha o apelido de Capitão, embora nunca tivesse sido militar, tocava viola, sanfona e fazia repentes. Ficou conhecido em toda a região.

Ainda com oito anos, já gostava de improvisar com Severino, que faleceu quando ele tinha apenas 10 anos. Com a morte do pai, a família deixou a fazenda (propriedade de Alves Pereira, que pode ser o motivo do sobrenome Alves de Ataulfo), indo morar na Rua do Buraco (hoje Ataulfo Alves), 23, em Miraí, MG. Era uma família de sete irmãos: Ataulfo, Alaor, Paulinho, Tita, Maria Mercedes, Maria Antonieta e Norina.

Ainda menino, o compositor começou a trabalhar para ajudar a mãe no sustento da casa. Foi leiteiro, condutor de bois, apanhador de malas na estação, menino de recados, carregador de marmitas, marceneiro, engraxate, plantador de café, arroz e milho, e muitas outras atividades. Mesmo trabalhando duro, continuou seus estudos no grupo escolar Dr. Justino Pereira.

Deixou Miraí em 1927, com apenas 18 anos, indo para o Rio de Janeiro tentar melhores oportunidades. Partiu acompanhando o médico Afrânio Moreira de Resende, amigo de sua família, e que se transferia para a capital federal, com mulher e filhos. Ataulfo passou a trabalhar de dia no consultório do Dr. Afrânio, na Rua da Assembléia, centro do Rio, e de noite, fazia a limpeza geral da residência do médico.

Depois de algum tempo, empregou-se na Farmácia e Drogaria do Povo (de Samuel Antunes), como limpador de vidros, e onde acabou aprendendo o ofício de prático de farmácia, conquistando a simpatia e a confiança do dono. Na época, morava no bairro do Rio Comprido, onde passou a freqüentar rodas de samba.

Em entrevista, contou: "Eu organizei um conjunto, um grupo. Já tocava violão, já tinha meu cavaquinho, meu bandolinzinho, já fazia meu dó maior acertadinho, direitinho. Conforme eu manipulava as pílulas, manipulava também o samba". Aos 19 anos, casou-se com Judite. Nessa época conheceu uma jovem de nome Maria do Carmo, amiga das filhas do patrão, e que morava na Travessa do Comércio, 24. A moça vivia dizendo que um dia seria artista. O compositor achava graça. A jovem era, simplesmente, aquela que se tornaria o mito Carmen Miranda. Em 1929, chegou a trocar, por curto período, o emprego na farmácia de Samuel. Foi trabalhar na Farmácia Mello, no Catumbi, do Dr. João Bandeira de Mello. Teve, com a esposa Judite, cinco filhos: Adélia, Ataulfo Júnior, Adeilton, Matilde e Adelino (que morreu jovem).

Ao longo dos 35 anos de sua vitoriosa carreira, acumulou muitos troféus, medalhas, placas e diplomas, além dos quadros pintados por Pancetti, "Lagoa serena" e "Pois é", inspirados em seus famosos sambas. Um lenço branco foi a sua "marca registrada". Com ele, costumava "reger" o seu conjunto. Foi um dos mais bem sucedidos sambistas compositores dos anos 1940 e 1950. Sempre muito educado, gentil e refinado, vestia-se com elegância. Chegou a ser eleito um dos "10 mais elegantes" em famoso concurso promovido pelo colunista social Ibrahim Sued. "Quando fui apontado como um dos 10 mais elegantes pelo Ibrahim, eu aparecia nas fotografias com um terno de 10 anos atrás. É que, naquela época, eu não podia pagar um bom alfaiate. Mas, depois de eleito, surgiram grandes alfaiates que, interessados em ganhar publicidade, ofereciam-se para me fazer roupas de graça". Foi um dos primeiros compositores populares a editar suas próprias composições. Faleceu no Rio de Janeiro, vítima de uma úlcera no duodeno que o acompanhou por quase 20 anos.



Por se tratar de material curricular dos cursos de música do Canto pra Viver, e em respeito aos detentores dos direitos autorais, nós instituímos esta senha para que o aluno possa ter acesso ao seu material na íntegra.
Para o visitante interessado, mesmo sem a senha, poderá ver as fotos, e videos com conteudo livre de direitos autorais:

VÍDEOS ==> PARA ASSISTIR, CLIQUE NO LINK



HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - A GRANDEZA DA MÚSICA - APRESENTAÇÃO
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - AMÉLIA - HISTÓRIA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - LARANJA MADURA - HISTÓRIA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - CANTANDO LARANJA MADURA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - POIS É - HISTÓRIA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - CANTANDO ATIRE A PRIMEIRA PEDRA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - CANTANDO OS MENINOS DA MANGUEIRA
HOMENAGEM À ATAULFO ALVES JR - 18/03/11 - UM MOMENTO DE DESCONTRAÇÃO


FOTOS
PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO, CLIQUE NA FOTO

DSC04361.JPG DSC04362.JPG DSC04363.JPG DSC04366.JPG DSC04365.JPG DSC04366.JPG DSC04368.JPG DSC04369.JPG DSC04370.JPG DSC04372.JPG DSC04373.JPG DSC04376.JPG DSC04377.JPG DSC04378.JPG DSC04379.JPG DSC04380.JPG DSC04381.JPG DSC04383.JPG DSC04385.JPG DSC04386.JPG DSC04387.JPG DSC04389.JPG DSC04394.JPG DSC04395.JPG DSC04397.JPG DSC04398.JPG DSC04399.JPG DSC04400.JPG DSC04402.JPG DSC04403.JPG DSC04404.JPG DSC04405.JPG DSC04406.JPG


SEGUNDO TEMPO - 06/01/2012 - FOTOS


P1000682.JPG P1000683.JPG P1000684.JPG P1000685.JPG P1000686.JPG P1000687.JPG P1000688.JPG P1000689.JPG